Homenoticias"Apenas palavras": Hamas responde ao plano de cessar-fogo de Joe Biden em...

"Apenas palavras": Hamas responde ao plano de cessar-fogo de Joe Biden em Gaza

A guerra em Gaza foi desencadeada pelo ataque do Hamas em 7 de Outubro. (Arquivo)

Rafa:

Um alto funcionário do Hamas disse na quinta-feira que o acordo de cessar-fogo proposto pelo presidente dos EUA, Joe Biden, em Gaza era “apenas palavras” e que o grupo palestino não recebeu nenhum compromisso por escrito relacionado a uma trégua.

Biden apresentou na semana passada o que chamou de plano israelita de três fases que poria fim ao conflito, libertaria todos os reféns e levaria à reconstrução do devastado território palestiniano sem o Hamas no poder.

Mas Osama Hamdan, um funcionário do Hamas baseado em Beirute, disse à AFP: “Não há proposta – são apenas palavras ditas por Biden num discurso”.

“Até agora, os americanos não apresentaram nada documentado ou escrito que os comprometa com o que Biden disse no seu discurso”, disse ele da capital libanesa.

Hamdan disse que Biden “tentou encobrir a rejeição israelense” de outro acordo oferecido no início de maio, que havia sido aprovado pelo Hamas.

Ele disse que o Hamas estava disposto a aceitar qualquer acordo que atendesse às principais exigências do seu movimento de um cessar-fogo permanente em Gaza e a retirada completa das tropas israelenses do território.

Pouco depois de Biden revelar o plano, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, disse que o roteiro era apenas “parcial”.

Os Estados Unidos, juntamente com o Qatar e o Egipto, têm estado envolvidos em negociações durante meses sobre os detalhes de um cessar-fogo em Gaza.

Mas, com excepção de uma pausa de sete dias iniciada em Novembro, que levou à libertação de mais de 100 reféns, não houve qualquer interrupção nos combates.

A guerra em Gaza foi desencadeada pelo ataque do Hamas em 7 de Outubro, que resultou na morte de 1.194 pessoas, a maioria civis, segundo um balanço da AFP baseado em números oficiais israelitas.

Os agentes também fizeram 251 reféns, 120 dos quais permanecem em Gaza, incluindo 41 que o exército afirma estarem mortos.

Desde então, a ofensiva militar de Israel em Gaza matou pelo menos 36.654 pessoas, também a maioria civis, de acordo com o Ministério da Saúde do território administrado pelo Hamas.

(Exceto a manchete, esta história não foi editada pela equipe da NDTV e é publicada a partir de um feed distribuído.)

Fornte

RELATED ARTICLES

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Most Popular

Recent Comments